Tudo o que você precisa saber sobre ômega 3

Quando se fala em suplemento alimentar, posso até apostar com você que uma das primeiras coisas que vem a sua cabeça é ômega 3, acertei? Ele é um dos mais vendidos e procurados por oferecer diversos benefícios ao organismo. 

Além disso, muitas pessoas buscam pela suplementação de ômega 3 pois obter esse nutriente exclusivamente pela alimentação nem sempre é fácil. Também pela correria do dia a dia, consumi-lo em cápsula se torna uma opção mais prática. 

E esse também é um ingrediente em alta quando falamos na terceirização e produção de suplementos alimentares. Por isso, hoje vou te apresentar um apanhado com tudo o que você precisa saber sobre o ômega 3. Pegue um chá para te acompanhar e boa leitura!

Sobre o ômega 3

O ômega 3 é um tipo de gordura boa que atua positivamente em diversas áreas do organismo. Ele auxilia desde a prevenção de doenças autoimunes até a depressão, por exemplo. Pode ser utilizado para controlar os níveis de colesterol e glicemia ou prevenir doenças cardiovasculares e cerebrais, além de melhorar a memória e a disposição.

Há três tipos de ômega 3: o ácido docosahexaenoico (DHA), o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido alfa-linolênico (ALA). Em alimentos, os mais ricos em ômega três são os peixes de mar como salmão, atum e sardinha e as sementes como chia a linhaça.

Apesar de ser encontrado em alimentos, a grande maioria das pessoas busca inserir esse nutriente em sua rotina por meio da suplementação, em cápsulas, por ser mais prático de consumir e também porque nem todas as pessoas têm acesso aos alimentos que são ricos em ômega 3. 

Benefícios do ômega 3

O uso de suplementos à base de ômega 3 tem se popularizado a cada dia por conta das suas propriedades que atuam em diversas partes do organismo. Ele é considerado um nutriente essencial para uma dieta saudável e balanceada, uma vez que pode fornecer diversos benefícios para a saúde. 

Confira seus principais benefícios:

Diminui a inflamação e combate a asma: sua ação anti-inflamatória pode ser muito útil nos tratamentos de doenças inflamatórias intestinais e artrite reumatoide, por exemplo. Isso porque o ômega 3 reduz a produção de substâncias que causam a inflamação como os eicosanoides e as citocinas. Além disso, essa propriedade ajuda a prevenir os danos celulares que podem levar ao aparecimento do câncer. Seu poder anti-inflamatório ajuda também no combate da asma e ajuda a diminuir o risco de novas crises.

Protege o coração: ele ajuda a reduzir o colesterol ruim e os triglicerídeos, substâncias responsáveis por formar placas de gordura nas artérias. Com isso o ômega 3 ajuda a promover um melhor funcionamento das artérias e a evitar infarto, arritmia, insuficiência cardíaca e derrame cerebral. Também ajuda a aumentar o colesterol bom, controlar a pressão sanguínea e reduzir os danos nas células, mantendo os vasos sanguíneos saudáveis.

Evita a formação de coágulos: o ômega 3, especialmente o DHA e EPA, tem propriedades anticoagulantes, o que reduz a formação de coágulos sanguíneos por impedir que as plaquetas do sangue se agrupem. Diante disso, esse nutriente pode auxiliar na prevenção de complicações graves como trombose venosa profunda ou embolia pulmonar, por exemplo. 

Ajuda a combater a depressão e melhora o funcionamento cerebral: esse nutriente tem funções nootrópicas, ou seja, atua no cérebro protegendo suas células. Diante disso, o ômega 3 melhora a atividade desse órgão, aumentando a produção de substâncias responsáveis pelas emoções, humor e bem-estar como a serotonina, dopamina e noradrenalina. Por desempenhar essa função combate e auxilia no tratamento da depressão, diminuindo os sintomas depressivos, as perturbações do sono e a falta de apetite sexual, sintomas comuns nas pessoas deprimidas. 

Além disso, levando em consideração que 60% do cérebro é constituído por gordura, especialmente ômega 3, ele é muito importante para as funções desse órgão. Aumentar o consumo desse nutriente pode ajudar a proteger as células cerebrais garantindo o bom funcionamento do cérebro, melhorando a memória e o raciocínio.

Previne doenças auto-imunes: estudos mostraram que o ômega 3 ajuda a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças auto-imunes. Isso acontece quando o sistema imunológico não reconhece células saudáveis do corpo e as ataca, destruindo essas células. Exemplos disso são a diabetes tipo 1 e esclerose múltipla. Esse nutriente pode auxiliar também no tratamento de lúpus, artrite reumatoide, colite ulcerativa, doença de Crohn e psoríase. 

Ajuda no controle da glicemia: o ômega 3 ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue, segundo estudos, pois melhora a resistência do hormônio insulina, o que o torna um aliado no tratamento da diabetes tipo 2. Além de auxiliar no tratamento dessa patologia, esse nutriente também pode ajudar a preveni-la. 

Previne o Alzheimer: por atuar no cérebro, o consumo de ômega 3 pode reduzir a perda de memória, falta de atenção e a dificuldade de raciocínio lógico, o que pode diminuir o risco de desenvolver Alzheimer, por melhorar o funcionamento dos neurônios cerebrais. Ademais, mais estudos ainda devem ser feitos para comprovar com mais assertividade esse benefício.

Melhora a qualidade da pele: o ômega 3 do tipo DHA é um componente das células da pele, responsável pela saúde da membrana celular, mantendo a pele macia, hidratada, flexível e sem rugas. Além disso, ele ajuda a proteger a pele dos danos do sol que podem causar envelhecimento ou câncer de pele, pois possui efeito antioxidante.

Ajuda a controlar o déficit de atenção e hiperatividade: muitos estudos já feitos mostram que a deficiência de ômega 3 no organismo está associada ao transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) em crianças e que o aumento do consumo de ômega 3, principalmente o EPA, pode reduzir os sintomas desse transtorno, o que pode ajudar a melhorar a atenção, a conclusão de tarefas e reduzir a hiperatividade, impulsividade, agitação e agressividade. 

Melhora o rendimento muscular: suplementar ômega 3 no organismo pode potencializar os resultados de atividades físicas, pois ajuda a reduzir a inflamação muscular causada pelo exercício físico, acelerando a recuperação dos músculos e diminuindo a dor após o treino. Além disso, ele ajuda a melhorar a disposição e potencializar o desempenho nos treinos e atividades como fisioterapia ou reabilitação cardíaca.

Cuidados com o ômega 3

Assim como qualquer coisa em excesso, o consumo exagerado e sem prescrição ou acompanhamento desse nutriente pode desencadear efeitos negativos no organismo.

O excesso de ácido eicosapentaenóico (EPA) e de ácido docosahexaenóico (DHA) no organismo (presentes no ômega 3) está sendo relacionado ao desenvolvimento e ao agravamento de doenças.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, é recomendável o consumo de 200mg a 500mg de EPA e DHA por semana, quantidade considerada suficiente para auxiliar na prevenção de doenças. 

Diante disso, é importante que pessoas saudáveis, que não estão realizando nenhum tipo de tratamento de saúde com suplementação de ômega 3, procurem um profissional habilitado. Ele poderá auxiliar na escolha e dosagem desse suplemento para evitar possíveis problemas causados pelo seu consumo excessivo. 

Ômega 3 como suplemento alimentar

Como já citado, o ômega 3 pode ser obtido por meio da alimentação, encontrado em alimentos específicos que, muitas vezes, não são acessíveis para todas as pessoas. Diante disso, a suplementação desse nutriente é essencial para auxiliar na manutenção da saúde. 

Na Hilê, o ômega 3 é fabricado em cápsulas oleosas e você pode aproveitar que ele está em alta no momento para iniciar sua linha de suplementos ou agregar mais um produto a sua marca! Entre em contato com uma consultora clicando aqui e comece seu projeto!

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM