Histórias da Hilê: Rosa superou desafios e hoje é líder de setor e tem filha formada em medicina.

Histórias da Hilê

A gente ama uma história emocionante, mas a de hoje meu povo, pega um lencinho porque vem uma lição de vida por aí. Eu já estou arrepiada com esta história e quero compartilhar com você!

Hoje vamos contar a história da nossa colaboradora Rosa, a menininha de 9 anos que tinha o sonho de ser secretária e não imaginava tudo o que ia passar e suas conquistas que hoje lhe enchem de orgulho.

Desde muito cedo Rosa começou a trabalhar, é a sexta filha do casal Brasil e Teresinha, que tiveram nove filhos. Seus pais iam trabalhar e ela acompanhava sua mãe, que limpava o escritório, quando tinha 12 anos ela assumiu o cargo, pois nasceu sua irmã mais nova. Rosa, atendia o telefone, fazia a limpeza e cuidava do escritório. Tinha em sua mente que quando crescesse ia ser secretária, até recebeu elogios da sua patroa na época e isso ficou marcado na sua memória.

“Eu sempre quis trabalhar no escritório, mas nunca tive oportunidade, eu estudei só até a oitava série na escola e depois o segundo grau eu fiz no CEJA, porque não tinha condições, aquela época não tinha sabe, era muitos filhos… Não tinha como fazer para estudar, aí eu terminei meu segundo grau no CEJA, quando comecei a trabalhar aqui com o Sandro.” (Rosa).

Histórias da Hilê

Desde o princípio, entendemos que devemos possibilitar às pessoas que estão com a gente a buscarem o melhor para elas. Por isso, quando a Rosa começou a trabalhar com a gente, incentivamos que ela continuasse os estudos e não desistisse dos seus sonhos.

Lá no começo nada era igual hoje, quando a Rosa entrou na nossa equipe tínhamos apenas 1 máquina de chá e ela teve destaque na parte da plastificação. “Eu pegava o ferro de passar roupa, pegava o plástico e enrolava em uma tábua, fazia a medida da caixa, que ia dar para fazer o envelope da mesma, eu media a caixinha, pegava e enrolava na tábua com o estilete cortava. Aí ficava bem certo os quadradinhos, e a gente esquentava o ferro de passar roupa, sentava em uma cadeira e na mesinha ia fazendo, virava passava, virava passava. Tinha dias que fazia 400 plastificações.” (Rosa)

Quando chegou a primeira plastificadora foi motivo de festa para a Rosa, e é claro que ela comandou a máquina, sempre mandando super bem no que fazia. Nesta época já tinha 2 máquinas e 1 plastificadora. Mas aconteceu algo que marcou a vida de Rosa nos anos 2000.

A gente sabe, que nem sempre parcerias duram para sempre, quando o Sandro encerrou o ciclo com seu ex sócio, e dividiram o que ia ficar com cada um da fábrica, era hora dos funcionários decidirem se iam ficar ou ir… “teve uma reunião onde todos foram chamados no escritório, e foi nos perguntado: Quem vai ficar trabalhando aqui levante a mão, quase todos levantaram a mão, apenas 3 pessoas não ergueram, isso significava que eu e mais 2 mulheres haviamos escolhido ir trabalhar com o Sandro.” (Rosa)

“Era um momento de incertezas, mas eu precisava honrar a oportunidade que o Sandro havia me dado e nunca me arrependi da minha escolha, estou há 23 anos trabalhando na Hilê, quando aqui não era nada, tinha apenas uma salinha e hoje contamos com 8 mil m² de parque fabril.” (Rosa)

Tudo o que a Hilê é hoje, era um sonho há 20 anos atrás. “O Sandro me falava vou fazer salas para aquele lado, quero uma expedição grande, que caiba muitos produtos, vou fazer isso, aquilo… eu ficava com um pé atrás com seus grandes objetivos, e olha hoje, tudo o que sonhou, planejou e batalhou ele conquistou, e eu estava lá para ver todas as batalhas e conquistas, isso me deixa emocionada.” (Rosa)

Histórias da Hilê

“O meu sentimento ao ver tudo isso é de realização, quando o Sandro precisou de mim eu estava lá, e depois quando eu precisei dele ele estava ao meu lado… quando a minha filha foi estudar fora, foi um momento difícil financeiramente para nós. O sonho da minha filha Fernanda, era ser médica, ela tinha 8 anos quando comecei a trabalhar aqui, quando ela estava na oitava série, ela já me dizia que gostaria de ser médica, eu não disse para ela que não, mas eu pensava como a gente vai fazer para essa menina ser médica, dar esse estudo, a gente não vai conseguir, vinha em minha mente.

Ai o meu marido disse, a gente vai dar um jeito, vamos conseguir sim, daí ela continuou estudando, quando terminou o segundo grau, ela chegou e disse: mãe, eu tenho uma amiga minha que vai estudar em Santa Maria, vai fazer cursinho lá, ele é bem mais barato do que aqui, o custo de vida é mais baixo, a gente fez as contas, vamos gastar R$1.000,00, para comer, pagar aluguel, fazer o cursinho, tudo.

Em conversa com o meu marido, e falei R$500,00 cada uma, a gente consegue pagar. E ele me disse: e comprar as coisas de dentro de casa, como vamos fazer? A gente tinha que comprar o básico. E o valor saia das nossas condições.

Foi neste momento que eu cheguei e falei para o Sandro: a minha filha vai fazer curso, ela quer fazer medicina, vai fazer um cursinho em Santa Maria, a gente vai precisar comprar esses móveis para ela, e nós não temos como pagar, então ele me disse: Rosa, eu te empresto este dinheiro, você vai pagando um pouquinho por mês, pode comprar os móveis que eu te empresto o dinheiro. Ele me emprestou, eu paguei R$50,00 por mês. Me lembro até hoje, que levei 1 ano e pouco para pagar.

Isso me marcou muito, lá no começo eu estava do lado dele, e depois de 9 anos ele me ajudou também. Sempre que eu precisei o Sandro me ajudou, aqui dentro a gente pode contar com a empresa! O Sandro em si, é uma pessoa de um coração muito bom. Todo mundo rotula ele como uma pessoa brava, mas ele é pelo certo, se você fizer tudo certinho, não fazer nada errado, cuidar das coisas, pronto, não tem erro, é assim que ele gosta e está certo. Afinal não é do nada que ele tem as coisas, é por esse zelo e cuidado.” (Rosa)

E passado alguns anos, temos orgulho em dizer que a nossa Fernanda está formada em medicina (e a gente participou deste sonho e da realização dele), está terminando sua especialização e passou no concurso em Porto Alegre, que orgulho né Rosa?! Não podemos esquecer de falar da Camila e da Marina, as outras filhas da Rosa. Camila está se formando em engenharia civil e a Marina está no ensino médio, mas já tem planos para a faculdade e trabalha aqui com a gente também.

“Eu nunca pensei na minha vida, que a gente ia conseguir dar estudo para as meninas, ter um carro cada um, ter uma casa boa, eu tenho tudo, a gente tem saúde, estamos bem. Parar e olhar tudo o que já vivemos, só tenho que agradecer, tudo o que temos, temos saúde e estamos trabalhando, tem emprego, porque tem muita gente que não tem emprego, não tem saúde.

“Tudo o que conseguimos foi trabalhando aqui, o meu marido também trabalhou 40 anos na Seara e se aposentou lá. E a gente conseguiu tudo juntos, com muito esforço, dedicação e coragem também (risadas) e muita fé.” (Rosa)

Aqui na Hilê a gente valoriza a história dos nossos colaboradores, queremos sempre ajudar a melhorar sua qualidade de trabalho e de vida. A Rosa é a nossa líder do setor de solúveis e está em constante evolução, sempre dando o seu melhor e repassando para a sua equipe o senso de cuidado e evolução.

“Tudo o que eu aprendi foi aqui, a gente ganhou cursos, nos profissionalizamos. No começo eu não sabia nem conversar direito com as pessoas, o Sandro viu essa dificuldade em nós, e ele pagou cursos aqui, fora da cidade, trouxe pessoas para empresa. Cursos de PNL, neurolinguística, cursos que não tínhamos como fazer, a gente ganhou vários cursos neste estilo. Eu acho que tenho uns 4 ou 5 diplomas.” (Rosa)

Entendemos a importância de ter profissionais especializados para entregar o melhor para o nosso cliente, sempre apoiamos o crescimento profissional, pois entendemos que quem ganha é a gente! O colaborador vai fazer a diferença dentro da empresa e dos processos. E para nós, no final é isso que importa.

Temos em nosso DNA, a essência do nosso CEO Sandro, nos inspiramos nas boas ações, no seu coração afetivo em ajudar o próximo, é por isso que temos orgulho em sermos a Hilê e podemos afirmar que viemos lá de baixo, quando apenas 3 pessoas acreditaram que ia dar certo e foi com muitas batalhas que somos quem somos hoje.

E é como diz a Rosa: “É uma vida, vai fazer 23 anos que eu estou trabalhando aqui, e espero me aposentar aqui também (risadas). Não tenho pressa, amo trabalhar aqui. Ah e eu vou ficar, depois que me aposentar, nem sei se vou querer sair daqui. Enquanto tiver emprego estarei aqui.”

Amamos o que fazemos, e temos orgulho de auxiliar na jornada de uma vida digna para os nossos colaboradores, nunca deixem de sonhar e correr atrás dos seus objetivos, estamos aqui para lhe dar a mão e apoiar em qualquer situação.

E ao nosso querido cliente, queremos sempre proporcionar o sucesso da sua jornada, e tenha a certeza que você contará com uma equipe engajada e que está pronta para lhe entregar o melhor produto, pois essa é a nossa missão!

Nada é por acaso, sempre tem uma história inspiradora e motivadora por trás. Nada é impossível para quem sonha e luta diariamente para conquistar seus sonhos! Se inspire na história da Rosa e faça a diferença na sua vida!

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM