Histórias da Hilê: Lilian, quando a carreira profissional constrói laços pessoais

Para que qualquer empresa tenha sucesso em sua carreira é preciso ter colaboradores empenhados e dedicados que ofereçam o melhor de si para que tudo dê certo. E aqui na Hilê é exatamente isso que acontece.

Graças aos nossos profissionais extremamente dedicados conseguimos crescer cada dia mais. E, hoje, no Histórias da Hilê, você vai conhecer um pouco mais da trajetória de uma dessas colaboradoras, a Lilian, coordenadora do departamento de design e marketing aqui da empresa. 

Se acomode na cadeira, prepare um bom chá e vem conhecer um pouco mais da história dessa mulher que é exemplo para suas colegas de trabalho! 

Lilian acompanhou a evolução e crescimento da Hilê de perto, desde quando produzíamos apenas chás. Sua carreira profissional na área do design, curso em que é formada, foi construída aqui dentro. Ela é aquela pessoa que conhece e sabe sobre todos os processos e vai saber tirar aquela sua dúvida sobre rotulagem, produção, impressão de rótulos, processos regulatórios e tudo mais. 

Filha de Gelcir e Lourdes, é a mais nova dos três irmãos, sendo que o mais velho se chama Gelcimar e a irmã do meio Lidiane. Ela é natural de Lajeado Grande, mas atualmente reside em Xanxerê. Seus pais continuam em sua cidade natal e, às vezes, patrocinam nosso lanche da tarde do setor de design e marketing com as frutas que a Lili traz de lá (risos). 

Lilian quando criança

Lilian (à direita) e os irmãos

Pais de Lilian

Lilian (à direita) e os irmãos

Isso, a Lili, pois aqui todos a chamam assim de forma carinhosa, afinal, são 13 anos de histórias, marcados por muitos desafios e dedicação ao trabalho. Ela cresceu com a Hilê e acompanhou boa parte do processo de evolução da fábrica de chás para a indústria de alimentos. Mas, essa dedicação e persistência vem muito antes do trabalho, fazem parte da essência dela. 

De alma independente, desde pequena já ajudava com algumas tarefas de limpeza em um escritório quando a família se mudou para Coronel Freitas para trabalhar com o padrinho dela. Após algum tempo na cidade, a família voltou para Lajeado Grande. 

“Depois que voltamos para Lajeado meu pai foi trabalhar, minha mãe ajudou meu tio na roça, eu trabalhava cuidando de crianças com 13 para 14 anos. Ajudava a cuidar de um primo, ele tinha uma irmã da minha idade que ia na mesma série que eu, então eu estudava de manhã e de tarde eu ajudava a cuidar dele porque a mãe dela trabalhava. Minha função era lavar a louça, varrer a cozinha depois do almoço, lavar os panos, colocar toalha de molho, deixar organizado. Trabalhei quase dois anos, depois cuidei de outras duas crianças e aí depois eu comecei a fazer faxina. Eu fui faxineira até começar a fazer faculdade” conta Lilian. 

Toda a família

As mulheres da família

Lilian, os pais e irmãos

Ela sempre buscou “se virar”, como a gente diz. Além das faxinas, assim que começou na faculdade conseguiu um emprego em uma padaria. Passava o dia empenhada no trabalho e, no fim da tarde, pegava o ônibus e vinha até Xanxerê para estudar. 

Design não era sua primeira opção de curso, nem mesmo a segunda. Logo que terminou o ensino médio Lilian fez uma prova das universidades de Santa Catarina e escolheu um curso de uma área totalmente diferente. 

“Eu escolhi administração, mas minha mãe não queria. Aí eu queria fazer arquitetura, mas naquele tempo era durante o dia e durante o dia eu trabalhava e não tinha condições para bancar o curso. Então, fomos conhecer a Unoesc e eu vi sobre o curso de design. O coordenador era o Claudio, ele fez um discurso muito bonito e eu pensei ‘vou fazer design’. Passei no vestibular para design e entrei no curso” (Lilian).

Ela lembra que a rotina era puxada, mas seguiu firme para atingir o objetivo que escolheu. Trabalhava o dia todo, estudava à noite e, às vezes, tinha aula também no sábado. Entre toda essa rotina e os trajetos que fazia de ônibus, bem como a espera pelo transporte, ela ficava lendo livros. 

Na padaria Lilian era a “faz tudo”, auxiliava em praticamente todos os setores. Ajudava na produção dos bolos, doces, pães e lanches, na organização de mercadorias e também na faxina. O gosto pela cozinha despertou quando ela fez um bolo de aniversário de 80 anos para sua avó. Na padaria conseguiu aprender mais.  E os bolos e tortas da Lili são sensacionais! (opinião sincera da escritora, risos).

Durante a graduação…

Como é até hoje, a vida do estudante não é nada fácil. Dezenas de provas e trabalhos para dar conta, além da vida profissional e pessoal, é tudo uma loucura. E, assim como acontece com muitas pessoas, a Lilian também iniciou o curso de graduação deslumbrada e teve de lidar com algumas frustrações. 

A faculdade, infelizmente, não te prepara para a vida e por ser de cidade pequena, ela não via muitas possibilidades em sua área no lugar onde nasceu. Entretanto, sempre recebeu apoio de pessoas especiais que a impulsionaram a seguir nessa carreira. 

Quando chegou o momento de fazer o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), a irmã de Lilian comprou um computador para ela conseguir desenvolver o trabalho, mas, a jovem enfrentava problemas com a internet discada da época. Tempo depois sua irmã instalou internet em casa e era lá que a Lilian ia para desenvolver seu TCC. 

Nessa etapa da graduação, havia dias em que ela nem dormia. Chegava da aula e ficava na casa da irmã fazendo seu trabalho noite adentro. Quando amanhecia, ia para casa de bicicleta, tomava café e ia direto para o trabalho. O tema do seu TCC foi a agricultura familiar: ela se propôs a criar uma marca e identidade visual para o sindicato.

Carreira profissional

Após finalizar a graduação ela continuou trabalhando na padaria por mais um ano, até que seu irmão conseguiu uma entrevista de emprego em uma gráfica. Quando ela havia decidido que iria para a gráfica, um amigo a indicou para trabalhar na Hilê. Na época as marcas próprias eram CháMais, Vitafrux e Chá da Índia e o gestor Sandro Botta a chamou para um mês de experiência após  entrevista de emprego. 

Foi nesse momento que ela pegou férias do emprego na padaria e veio fazer a experiência aqui. Passado um mês ela decidiu que viria para cá definitivamente. Se mudou para Xanxerê e foi contratada no dia 09 de janeiro de 2008. Apesar de sair da empresa no primeiro dia pensando que nunca mais voltaria, já são 13 anos de histórias aqui na Hilê. 

Na época em que a Lilian começou a trabalhar aqui, os funcionários passavam pela produção para conhecer o processo. Ela ficou na plastificadora, mas logo foi transferida para o escritório. 

Sua primeira tarefa no escritório foi puxar uma ligação e ela lembra que não sabia e que os primeiros dias foram difíceis. Persistente, ela não se deu por vencida e, aos poucos, foi aprendendo um pouco de tudo. 

“Quando eu entrei ainda não existia um setor de design. Naquele período o Sandro contratou uma agência, eu fazia o meio de campo entre a indústria e a agência, então o pessoal do carimbo falava que estava faltando caixinha e eu passava a relação para a agência, por exemplo. Quando entrei o Sandro ainda estava estruturando a questão de marca da CháMais, layout, embalagens. A primeira coisa que eu fiz aqui dentro foi um envoltório para o chá Jamaiquinha, eu nunca tinha visto envoltório, não entendia, tinha processos de cor, separação e clichê para gastar menos. Fui aprendendo os processos aos poucos” (Lilian).

Primeiras equipes de design da Hilê

 Primeiras equipes de design da Hilê

Primeiras equipes de design da Hilê

Primeiras equipes de design da Hilê

Primeiras equipes de design da Hilê

Na época a empresa já tinha clientes terceiros, mas eram poucos e todos mandavam as embalagens prontas para a indústria. Com o tempo o fluxo de clientes aumentou e a agência que realizava os trabalhos já não conseguia mais atender a demanda com a urgência necessária. Nesse momento nasceu a necessidade de montar uma equipe interna de design. Com isso também começou a nascer uma equipe de relações públicas, marketing e comunicação. 

Um fato que marcou sua vida profissional foi justamente a evolução da Hilê que ela acompanhou de perto. Foi a partir desse momento que ela começou a se envolver mais nos processos.

“A gente produzia apenas chá, se ouvia o Sandro falar que queria mudar, inserir um setor de cápsulas, (ele já tinha máquina e produzia, estava em busca dos registros junto a Anvisa e o registros de marca no Inpi) que ia comprar máquinas, queria dizeres, etc. Eu acompanhei o processo ali e quando saíram os registros começamos a produzir, definir potes, layout, quantidades de cápsulas, entre outras coisas. Naquele tempo eram CháMais e Vitafrux, as cápsulas nasceram mais fortes na Vitafrux do que na CháMais. Foi bem legal, porque eu vi todo o processo de batalha do Sandro de correr atrás de documentação, comprar máquina, comprar matéria-prima. Foi uma vitória porque tínhamos que nos adaptar e conhecer todo um processo diferente e no final conseguimos ajustar e dar sequência nos projetos” (Lilian).

Por ser a funcionária mais antiga do setor de design, quando houve a fusão entre esse setor e o de marketing, Lilian acumulou algumas funções, o que a ajudou a absorver cada vez mais conhecimento dos setores.

“Nesse processo eu agradeço muito a todos que me ajudaram tanto gráficas quanto pessoal interno, que buscam ouvir e entender o que é preciso para auxiliar da melhor forma. Acho que um dos agradecimentos que eu tenho pela empresa são as pessoas que eu levo comigo até hoje, porque muitas vezes me ajudaram tanto no quesito profissional quanto no pessoal” (Lilian).

Da Hilê para a vida!

Ao longo da vida vamos criando laços com diversas pessoas e o ambiente de trabalho é um lugar muito propício para isso, pois são com essas pessoas que passamos a maior parte do nosso dia. 

Quando a Lilian foi chamada para trabalhar aqui, precisava de um lugar para ficar em Xanxerê. Foi quando lembrou da Suiana, que era vizinha da sua irmã. Ela pediu se poderia morar com ela até passar na experiência e a Su aceitou. Na época as duas mal se viam, pois a Lilian trabalhava o dia todo na Hilê e como babá à noite e a Su estudava de manhã e fazia atividades à tarde.

“Agradeço muito a Su por ela ter me acolhido, foi muito legal isso. Nós moramos 2 ou 3 anos ali e depois nos mudamos para uma casa maior. A Su começou a namorar e aí resolvemos voltar a morar em kitnets separadas. Foi nessa época que comecei a morar sozinha, com 22 ou 23 anos. Após alguns anos, minha sobrinha de Lajeado também veio para cá fazer faculdade, nós fomos morar juntas, ela fez o estágio aqui com o Sandro também” (Lilian).

A Lili foi acumulando amizades aqui na Hilê que foram fundamentais em momentos importantes da sua vida. Sabemos o quanto é importante termos apoio de amigos e familiares em muitas decisões e em pessoas que conheceu aqui ela encontrou esse apoio. Ela passou por uma cirurgia bariátrica, um momento delicado e uma decisão muito importante que foi amparada por pessoas que conheceu aqui. 

Passar por um processo cirúrgico sempre causa preocupação, especialmente nos familiares. Prova disso é que todos ficaram apreensivos quando ela tomou essa decisão. Mas, determinada como é, a Lili foi até o fim com essa decisão. 

“Eu lembro que quem me levou na primeira consulta com o médico foi a Claudete que trabalhava aqui porque ela também já tinha feito, na primeira consulta com a nutricionista e a psicóloga eu fui com a Ana, e elas me ajudaram nesse processo para acalmar minha família também. Me apoiaram, me ajudaram e é por isso que eu considero e dou muito valor para essas pessoas” (Lilian).

 

Lilian, Claudete e Cristiane, mulheres que conheceu aqui

Com carinho a Lili lembra de um episódio bem marcante durante sua preparação para a cirurgia. 

“Era um sábado à tarde, eu estava em casa, e aí apareceu na minha casa a Camila que trabalhava aqui, com um pote cheio de moedas. Ela me disse que aquelas economias eram dela e do Rafa que eles iam juntando para fazer qualquer coisa e eles queriam fazer alguma coisa com aquele dinheiro e não sabiam o que, mas eles também estavam comprando um apartamento porque eles queriam morar juntos. Mas, com essa vontade de fazer algo com aquele dinheiro e sabendo que eu tinha o sonho de fazer aquela cirurgia, não era muito mas eles decidiram que iam dar o pote das economias deles para mim. As pessoas é o porque eu estou aqui até hoje, pelas pessoas que eu conheci. Claro que muitas dessas pessoas foram embora, mas até que elas estavam aqui muitas vezes seguraram as pontas. Tenho o pote guardado até hoje” conta, emocionada.

Hoje, Lilian é grata por toda a carreira que construiu e todas as oportunidades que teve, bem como às pessoas que conheceu aqui e são presentes em sua vida até hoje. Mulher decidida, dedicada e que quando quer atingir um objetivo, vai até o fim!

“Agradeço a Su que foi e voltou e comprou muitas batalhas comigo, acompanhou algumas conquistas. A Aline foi quem me apoiou na falta da Su, a Cristiane, minha incentivadora e apoiadora nas festas e eventos. Sou grata por acompanhar as conquistas e fazer parte da história das pessoas” (Lilian).

Confraternizações da empresa

Confraternizações da empresa

Confraternizações da empresa

 Lilian e amigas

Pelas oportunidades recebidas, hoje também o sentimento é de gratidão ao gestor Sandro Botta.

“Agradeço imensamente o Sandro por ter visto potencial em mim, porque eu tinha acabado de sair da faculdade, me formei mas eu não conhecia absolutamente nada do processo. Ele também deu oportunidade para minha sobrinha fazer estágio aqui, me incentivou em vários aspectos e também me oportunizou participar de vários eventos espetaculares para adquirir conhecimento, sou muito grata” (Lilian). 

Eventos em que Lilian participou em nome da empresa

Eventos em que Lilian participou em nome da empresa

Eventos em que Lilian participou em nome da empresa

Eventos em que Lilian participou em nome da empresa

E, para o futuro, dois são os desejos que predominam: realizar sua festa de aniversário e zerar sua lista de locais que quer viajar!

“Nosso setor de Design e Marketing é sensacional! Temos liberdade para trabalhar, somos entrosadas e trabalhamos bem juntas. Fizemos nossa arte na parede que representa o setor e estamos sempre dispostas a ajudar uma a outra. É gratificante trabalhar em um lugar que podemos nos desenvolver profissionalmente e compartilhar experiências com quem a gente convive no dia a dia do trabalho. É um lugar leve para se estar todos os dias” (Lilian). 

Lilian, obrigada pelo seu comprometimento com a Hilê, é por podermos contar com profissionais como você que evoluímos a cada dia. Um agradecimento especial do seu setor e por nos encorajar a sempre buscar o nosso melhor. Lili, você é sensacional! 

Equipes mais recentes e atual de Design e Marketing da Hilê

Equipes mais recentes e atual de Design e Marketing da Hilê

Equipes mais recentes e atual de Design e Marketing da Hilê

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM