Diferença entre cápsulas e comprimidos

Com toda a certeza você já precisou fazer um tratamento de saúde com medicamentos em comprimidos, cápsulas ou drágeas. Mas, você já parou para analisar que cada um deles possui formatos e características diferentes? 

O formato do medicamento é definido de acordo com sua finalidade e as intenções que ele tem com o organismo. Além disso, cada uma de suas apresentações é digerida em um ponto do intestino, pois isso há vários formatos, apresentações e revestimentos. 

Diante dessas possibilidades apresentadas no mercado, muitas pessoas ficam em dúvida sobre qual formato escolher para adquirir seu medicamento ou suplemento alimentar. 

Abaixo você vai entender a diferença entre comprimidos, drágeas e cápsulas e suas principais finalidades.

Comprimidos

Os comprimidos são fabricados com os princípios ativos em pó misturados a substâncias que dão liga, como amido ou goma arábica, por exemplo. Medicamentos e suplementos apresentados dessa forma são compactados até ficarem uniformes e é desse processo que derivou o nome. 

A medicação nesse formato é absorvida ainda no estômago e de lá é direcionada até o local do desconforto, causando alívio da dor. Já as versões sublinguais dos comprimidos são elaboradas para se dissolver com a saliva. Assim, os princípios ativos são absorvidos pela mucosa bucal, passando diretamente para a corrente sanguínea, o que acelera o efeito do medicamento.

Outra forma muito conhecida e consumida dos compridos são os efervescentes. Esses comprimidos são dissolvidos em água e podem ser uma solução para quem tem dificuldades para engolir o comprimido convencional. Além disso, alguns comprimidos que se apresentam nesse formato possuem um sabor que disfarça o gosto amargo do remédio. 

Dentre as vantagens dos comprimidos, eles tem maior precisão de dose e conteúdos, permite uma grande variedade de formatos e usos e é inviolável, sendo impossível a adulteração do seu conteúdo. 

Drágeas

Medicamentos e produtos apresentados nesse formato são bem similares aos comprimidos. A diferença das drágeas é que elas são revestidas por uma película externa, geralmente feitas com açúcar ou algum polímero derivado da celulose. 

Essa camada de revestimento serve para proteger a substância ativa do medicamento do contato com o ar, a luz e a umidade. Além disso, ela retarda também a digestão do comprimido, para que a liberação do ativo ocorra somente no intestino. 

Por apresentarem aspecto liso e brilhante as drágeas são mais fáceis de engolir. Por possuírem a liberação dos ativos “prolongada” podem dispensar a necessidade do consumo de vários comprimidos ao dia. 

Cápsulas

As cápsulas contém a formulação do medicamento ou suplemento envolto em um revestimento de gelatina que protege o conteúdo interno e também facilita a deglutinação. 

Esse revestimento, por sua vez, pode receber pigmentos de várias cores ou até mesmo ser transparente e serve para preservar a formulação do seu interior do contato com o ar, luz e umidade. 

Além dos revestimentos feitos de gelatina, já há no mercado opções feitas de polímeros vegetais, uma opção para pessoas veganas que precisam ingerir algum medicamento ou suplemento alimentar em cápsula. 

Há no mercado as cápsulas moles, também conhecidas como oleosas, e as cápsulas duras. São classificadas dessa forma conforme a composição que as preenche, sendo pó ou líquidos como os óleos. Ademais, independente do seu revestimento as cápsulas são digeridas no estômago. 

Fórmulas em cápsulas são capazes de mascarar sabores e aparências desagradáveis dos ativos. 

E aí, gostou de saber mais sobre as diferenças entre esses tipos de apresentação de medicamentos e suplementos? Nos acompanhe pelo Instagram e Facebook que estamos sempre compartilhando conteúdos interessantes e relevantes.

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM