Notícias › Suplementação com Picolinato de Cromo!

Hilê Terceirização de Chás, Cápsulas, Instantâneo, Whey e Farinhas O cromo é um elemento que representa menos que 0,01 (p.100) do total da massa corporal dos animais. Contudo, existem inúmeras evidências demonstrando sua...

O cromo é um elemento que representa menos que 0,01 (p.100) do total da massa corporal dos animais. Contudo, existem inúmeras evidências demonstrando sua influência no metabolismo dos carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucléicos. A absorção de cromo na forma inorgânico é baixa, mas as formas orgânicas deste mineral são bem utilizadas. Dentre elas destaca-se o picolinato de cromo, uma forma trivalente de cromo que possui baixa toxidade.

Os mecanismos fisiológicos de ação do cromo ainda não foram totalmente esclarecidos. As principais evidências estão relacionadas com sua função na potencialização da insulina. Potencializar a ação da insulina com uma melhor ligação a proteína hepática glut4 captando mais glicose e reduzir o perfil lipídico inibindo a enzima hepática hidroximetilglutarilCoA-redutase. Com isso, acaba havendo um possível resultado hipoglicemiante e hipolipemiante.

A ingestão segura do mineral recomendada é de 50 a 200mcg/dia, mesmo sendo um elemento essencial que não possui o RDA (Recommended Dietary Allowance). Contudo, ainda não foi definido nenhum valor limite tolerável para sua ingestão.

Em relação ao perfil lipídico, o mineral pode ser eficiente por parecer inibir a enzima hepática hidroximetilglutaril-CoA redutase, o que obstrui o ciclo do colesterol, resultando no aumento das lipoproteínas de alta densidade (HDL) até a diminuição das lipoproteínas de baixa densidade (LDL, VLDL) em indivíduos que já possuem valores iniciais alterados.

Embora a incidência de casos de pacientes portadores do vírus HIV ainda esteja aumentando, através da terapia antirretroviral (TARV) é possível melhorar a qualidade de vida e diminuir os agravos provocados pela patologia. No entanto, com a TARV observam-se efeitos colaterais importantes relativos ao metabolismo: resistência à insulina/intolerância à glicose, hipertensão arterial, lipodistrofia e dislipidemia. A suplementação de picolinato de cromo melhorou a resistência à insulina, alterações metabólicas e composição corporal.

OLIVEIRA, V. et al. Efeito do picolinato de cromo na digestibilidade dos nutrientes e metabólitos sanguíneos de suínos. Archivos de zootecnia, v. 56, n. 214, p. 137-143, 2007.

FALCÃO, Luiz Eduardo Marinho. Suplementação de cromo associado ao exercício físico: uma revisão sistemática. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 10, n. 57, p. 343-349, 2016.

LICKS, Paula; HORVATH, Jaqueline Driemeyer Correia. Terapia nutricional em pacientes portadores do HIV em uso de TARV frente ao desenvolvimento de distúrbios metabólicos induzidos pela medicação. Clinical & Biomedical Research, v. 36, n. 2.

Voltar para Notícias